Thursday, April 26, 2007

Abril despedaçado


A calmaria do tempo se vira bruscamente! Assim como se faz um mar em ressaca...

A ampulheta parada foi invertida tão prontamente que nem mesmo eu esperava o golpe... o gole seco das areias quentes que me vieram sem querer!

É difícil esperar da tempestade a bonança...

Mais difícil talvez seja aceitar que a doença que minha alma carrega seja jogada ao vento e perdida no espaço.

Eu não sou capaz de mudar...

Sou!

Mas não queres que seja assim...

É mais fácil fechar os olhos para a tela complexa à sua frente do que admirá-la! Gostar do que não se gosta é mudar de opinião...

Sair do usual... cair em contradição! Perder-se no seu mundo infétil de sentimentos vazios e palavras inúteis!

Eis me aqui pedindo perdão...

Eis que me negas me dizendo não!

3 comments:

Amanda said...

A ampulheta... essa que brinca entre dois lados, sem saber que em algum deles deveria parar...

...mudar... consequências das ressacas que não só o mar possui!!!

bjos!!!!

baiana said...

é aceitar.
que ninguém é o mesmo de ontem.
a eterna indagação...
de quem és tu...

Marcos said...

"Gostar do que não se gosta é mudar de opinião...." Belo aforismo, Mariah! Estou com saudade da minha melhor amiga virtual! Cadê você? Felizmente posso matar saudade da minha agronoma-escritora-internética preferida e mais talentosa, simplesmente teclando um endereço da web. Triste paradoxo este que aflige a humanidade: checar os meus 5 endereços eletrônicos a cada 5 minutos...